Artigos e Entrevistas

Entenda como o trabalho pode gerar perda auditiva

Quando se fala em perda auditiva ocasionada no ambiente de trabalho quase sempre esta é relacionada à profissões que expõem o trabalhador a altos ruídos. De fato, essa é uma das principais causas para o dano. Mas praticamente todos os profissionais estão vulneráveis. Isso acontece porque além de o contato com altos volumes estar ligado à diversas profissões, ao deixar o local de trabalho o indivíduo continua em exposição durante a viagem de volta para a casa ou ao esticar até um happy hour. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 360 milhões de pessoas em todo o mundo têm perda auditiva de moderada a profunda (números de 2015). As causas são diversas entre elas, barulho, contato com produtos químicos, condições genéticas, envelhecimento, entre outras.

Além de prejuízos ao desempenho no próprio trabalho, como a dificuldade em compreender o que é dito durante uma simples reunião, a perda auditiva pode levar também a doenças mais graves como depressão, e até problemas cardíacos e cerebrovasculares, conforme estudos da OMS. Entre os profissionais que precisam estar mais atentos:

  • Trabalhadores de construção
  • Fazendeiros
  • Professores e enfermeiros
  • Bombeiros
  • Trabalhadores de plataforma
  • Trabalhadores de escritório em ambientes abertos
  • Trabalhadores de indústria
  • Soldador
  • Mecânicos
  • Mineiros
  • Motorista de caminhão
  • Músicos
  • Dentistas

Segundo a OMS, para um nível de conforto o ideal é que o ouvido fique exposto a no máximo 55 decibéis. A partir desse ponto, o organismo começa a reagir negativamente, com a diminuição da concentração e produtividade, por exemplo. No ambiente de trabalho, a tolerância é de 80 a 85 decibéis, além desse nível já é exigido o uso de equipamentos de segurança para bloquear o excesso de ruído no ouvido, e por um período máximo de até 8 horas diárias. Com mais de 85 decibéis os riscos são considerados sérios.

Sintomas

A perda auditiva induzida por ruído (PAIR) se manifesta por meio de diversos sintomas, entre eles os mais comuns são:

  • Dificuldade de compreensão de fala
  • Zumbido
  • Intolerância a sons intensos
  • Cefaleia
  • Tontura
  • Irritabilidade
  • E até problemas digestivos

Lesões na estrutura do ouvido também podem ocorrer quando a exposição acontece de forma repentina e com muita intensidade.

Prevenção

Como já diz o ditado prevenir é melhor do que remediar, visto que depois da perda auditiva dificilmente o profissional conseguirá recuperar a saúde do ouvido. Portanto, é fundamental que o profissional utilize equipamento de segurança e que, em especial, a empresa, respeite o que rege a norma do Ministério do Trabalho, que trata  a respeito do nível e período de exposição, entre outros aspectos.

Além disso, é aconselhável reservar alguns momentos do dia para descansar o organismo. Duas formas são evitando o som alto frequente, após deixar o trabalho, e sempre que possível, promover boas noites de sono.

Data Postada: 30/01/2017