Artigos e Entrevistas

A deficiência auditiva e os relacionamentos amorosos

De acordo com o último censo realizado 2010 pelo IBGE, cerca de 9,7 milhões de brasileiros possuem deficiência auditiva, ou seja, 5,1% da população brasileira. Nesse grupo, cerca de 2 milhões possuem deficiência auditiva severa (1,7 milhões têm grande dificuldade para ouvir e 344,2 mil são surdos), e 7,5 milhões apresentam alguma dificuldade auditiva. Já Organização Mundial da Saúde alertou, em estudo apresentado no primeiro trimestre de 2017, que as perdas auditivas são irreversíveis. Segundo a OMS, atualmente, problemas de audição provocados por causas diversas já afetam 360 milhões de indivíduos.

Nos relacionamentos em que um dos indivíduos possui perda auditiva, por mais que a deficiência não seja percebida instantaneamente e que se manifeste em um grau pequeno, não há razão para escondê-la. Se o parceiro ainda não procurou ajuda, e indispensável lembrar e alertar que a busca imediata por um otorrinolaringologista é sempre o melhor caminho.

Apoiar e incentivar o tratamento da perda auditiva para garantir uma boa comunicação entre o casal é essencial para uma relação saudável. Além disso, aprender sobre a deficiência do parceiro, articular bem os lábios durante a conversa, valorizar aplicativos de troca de mensagens e evitar ambientes extremamente ruidosos podem favorecer o fortalecimento da relação. 

Assim como o usuário de óculos, o usuário de aparelho auditivo não possui nenhum motivo para sofrer algum tipo de constrangimento. Se armações de óculos evoluíram de tal maneira chegando a se tornar acessórios de moda, os aparelhos auditivos também se desenvolveram notavelmente nos últimos anos. A tecnologia avançada aplicada não só aos aparelhos auditivos, mas também aos implantes cocleares, trouxe muito mais conforto e qualidade de vida aos usuários. Aparelhos auditivos recarregáveis, sem pilhas, com conectividade e design moderno, leves, de diversas cores, tamanhos e até imperceptíveis já são realidade hoje. 

Estar junto é dividir, apoiar, incentivar e constantemente ter vontade de escutar para compreender. O deficiente auditivo não deve se esconder atrás do parceiro, com sentimento de incapacidade. Nos relacionamentos amorosos o ponto mais importante é o equilíbrio. Independente das barreiras, um relacionamento positivo é aquele em que os parceiros estão sempre buscando escutar os melhores sons da vida. Compreender um sincero "eu te amo" pode ser um excelente combustível para querer sempre escutar melhor.

Data Postada: 17/07/2017