Artigos e Entrevistas

A importância da alimentação na proteção da audição

Manter bons hábitos alimentares é um dos fatores determinantes para ter um corpo saudável. Uma dieta balanceada pode favorecer a saúde auditiva adiando ou até mesmo evitando futuras deficiências. Além disso, alimentar-se de três em três horas beneficia o sustento de glicose e oxigênio das células auditivas. Por outro lado, o consumo de bebidas alcoólicas, o tabaco e o jejum prolongado podem acentuar os sintomas das vestibulopatias, tais como, zumbido, enjôo, náusea, suor frio e tontura.

Tema de estudos mundiais, a perda auditiva pode ser prevenida através da intervenção nutricional, principalmente se for associada ao envelhecimento, que acomete aproximadamente 30% da população acima dos 65 anos, com a incidência aumentando gradativamente ao passar dos anos.

Estudos epidemiológicos mundiais mostram inclusive uma relação entre a deficiência de nutrientes essenciais e a perda auditiva. De acordo com uma pesquisa realizada nos Estados Unidos pelo American Journal of Clinical Nutrition, jornal periódico americano sobre alimentação, o Ômega-3 contribui com a saúde auditiva. Os participantes do estudo que ingeriram, ao menos uma vez na semana, alimentos ricos na substância, alcançaram uma significativa redução do problema.

Sempre é hora de começar um comportamento alimentar mais saudável. Procurar um nutricionista para planejar uma dieta customizada e associar ela com a prática orientada de exercícios físicos deve gerar benefícios visíveis para sua saúde, trazendo muito mais energia para o seu dia a dia. Mas lembre-se: em caso de qualquer sintoma de perda auditiva, procure um otorrinolaringologista o mais rápido possível. 

Confira alguns alimentos que podem beneficiar a saúde auditiva:

> Ricos em Potássio: banana, batata-doce, abacate, tomate, beterraba, feijão, melão, mamão papaia, leite, iogurte, peixes, passas, cenoura e abóbora.

> Ricos em ácido fólico: cereais matinais fortificados, hortaliças verdes, beterraba, cenoura, carnes vermelhas, miúdos de aves, gema de ovo, feijão, milho, lentilha, laranja; queijo pasteurizados, cacau.

> Ricos em Vitamina C: morango, laranja, limão, tangerina, pimentão amarelo, mamão papaia, kiwi, goiaba, manga, melão e brócolis.

> Ricos em Vitamina E: amêndoas, avelãs, nozes, damasco seco, óleos de gérmen de trigo, de  milho, de girassol, de soja, de cártamo, espinafre, tomate, aspargo, manteiga de amendoim e amora.

> Ricos em Ômega-3: sardinha, salmão, atum, nozes, sementes de chia e linhaça.

Data Postada: 25/07/2017