Perda Auditiva

Navegue pelas abas abaixo e saiba tudo sobre a Perda Auditiva.


Causas no ouvido externo
Problemas típicos no ouvido externo incluem obstrução por cera e infecções do canal auditivo. De modo geral, tratar estes problemas é bem fácil. Mas o importante é agir rapidamente, para evitar danos à audição.

Causas no ouvido médio
Inflamação, fluído atrás do tímpano, perfurações do tímpano e otosclerose (enrijecimento dos ossos do ouvido médio) são os problemas mais comuns que interferem na função do ouvido médio. Problemas no ouvido externo e médio podem, na maioria das vezes, ser tratados efetivamente com medicação ou cirurgia. Se isto não for possível, a perda auditiva permanente pode ser compensada com um aparelho auditivo na maioria dos casos.

Causas no ouvido interno
As maiorias dos problemas auditivos estão relacionadas ao ouvido interno. A causa mais comum é o envelhecimento natural. Mas ruído excessivo, alguns tipos de medicamentos ou fraturas no crânio também podem afetar negativamente a capacidade auditiva. Estes fatores danificam os finos receptores sensoriais e afetam a transmissão de sinais aos nervos auditivos. Geralmente, perdas auditivas no ouvido interno não podem ser tratadas com medicamentos. Entretanto, este tipo de perda auditiva pode ser corrigido com um aparelho auditivo na maioria dos casos.
A perda auditiva causada por problemas no ouvido externo ou médio é chamada perda auditiva condutiva. Se os danos são no ouvido interno, chamamos de perda auditiva neurossensorial. Se ambos os casos ocorrem ao mesmo tempo, chamamos de perda auditiva mista.

Fonte: phonak.com.br

Grau de perda auditiva
Entre ‘ouvir bem’ e ‘não ouvir nada’ há uma ampla variedade de diferentes graus de perda auditiva. Especialistas distinguem entre perda auditiva leve, moderada, severa e profunda. A maioria dos casos de perda auditiva é classificada como leve ou moderada. A Phonak oferece soluções para todos os tipos de perda auditiva.

Os diferentes graus de perda auditiva:

Perda auditiva leve
Sons fracos não são ouvidos. É difícil entender a fala em ambientes ruidosos.

Perda auditiva moderada
Sons fracos e moderadamente fortes não são ouvidos. Entender a fala é muito difícil quando há ruído de fundo.

Perda auditiva severa
Conversas tem que ser conduzidas em voz alta. Conversas em grupo só são possíveis com muito esforço.

Perda auditiva profunda
Mesmo alguns ruídos muito fortes não são ouvidos. Sem um aparelho auditivo, a comunicação não é mais possível, mesmo com muito esforço.

Como identificar a perda auditiva?

Eu posso ouvir, mas não consigo entender corretamente.
A perda auditiva geralmente afeta sua capacidade de entender a fala. Especialmente as consoantes /P/, /K/, /F/, /H/ ou todos os sons de /T/, /Sh/ e /S/, que não podem mais ser ouvidos.

Trilhas sonoras
Nós não podemos ouvir o que outras pessoas ouvem. Pessoas com perda auditiva geralmente não conseguem explicar como a perda auditiva os afeta ou o que eles conseguem ou não ouvir.

Audiograma - Perda Auditiva


Explicando a Perda de Audição

Este audiograma mostra ás frequências e a intensidade dos sons do dia-a-dia.

De cima para baixo a intensidade do som irá aumentar, e da esquerda para direita, dos sons graves ( frequências baixas) para os sons ( frequências altas ).

Por exemplo, o caminhão tem um som de intensidade alta, porém a frequência baixa dentro do audiograma, já o canto dos passarinhos tem uma intensidade baixa, e a frequência alta. O audiograma também indica a sonoridade e afinação das letras diferentes dentro do discurso.

Quando é feito audiometria é medido os mais silenciosos sons que um individuo pode ouvir, chamada de limiar auditivo e é anotado as respostas no gráfico do audiograma.

A marcação no gráfico do audiograma indica o grau de perda auditiva do individuo, que pode ser visto ao lado direito do gráfico.

Os sons que se encontram a cima da marcação do limiar auditivo não pode ser ouvido pelo individuo sem o uso do aparelho auditivo.

Consequências da perda auditiva

A perda auditiva frequentemente tem consequências complexas

Muitas facetas da vida cotidiana tornam-se cada vez mais difíceis. Conversas com entes queridos, reuniões, ligações telefônicas e assistir TV podem ser particularmente difíceis. Em muitos casos, pessoas com perda auditiva afastam-se e tornam-se socialmente isoladas. Sua qualidade de vida diminui drasticamente.

Consequências sociais
Estudos mostram que pessoas com perda auditiva que não usam aparelhos auditivos sentem mais tristeza, medo e ansiedade que usuários de aparelhos auditivos. Eles reduzem suas atividades sociais, tornam-se emocionalmente instáveis e têm dificuldades para se concentrar.

Por outro lado, estudos mostram que usuários de aparelhos auditivos aumentam substancialmente sua qualidade de vida a partir do momento em que eles começam a usar um aparelho auditivo. Eles têm uma relação melhor com suas famílias, mais autoconfiança e sentem mais independência e segurança.

Consequências físicas
Se a perda auditiva não é corrigida, ela pode levar a problemas físicos como cansaço ou fadiga, dores de cabeça, vertigens e estresse.

Os sintomas descritos acima nem sempre são causados por perda auditiva não tratada, mas eles são observados em muitos casos. Se você sente uma perda auditiva e reconhece alguns dos sintomas descritos acima, você deve entrar em contato com seu médico otorrinolaringologista.

O que é um audiograma?
Um audiograma é uma representação gráfica de sua capacidade auditiva. Durante o teste, sua audição é testada em diferentes faixas de frequência. O resultado é representado por uma curva característica em seu audiograma.

As frequências
A escala horizontal na parte inferior indica as diferentes frequências. As frequências baixas (por exemplo, o ruído de um motor) estão localizadas bem à esquerda, e os sons altos (por exemplo, o canto de um pássaro) bem à direita.

A intensidade do som
A escala vertical indica a intensidade da respectiva frequência, de suave (na parte superior) a elevada (na parte inferior). Os valores estão em decibéis, abreviados como dB(A). Um ouvido humano saudável começa a perceber sons em 0 dB(A) e atinge seu limiar de dor em 110 dB(A).

• Evitar introduzir hastes algodonadas ou outros objetos no conduto auditivo. Além de empurrar a cera para mais próximo ao tímpano, eles podem provocar lesões.

• Utilizar aparelhos de som e/ou fones de ouvido com volume baixo, que permita a conversação com outras pessoas.

• Evitar o uso de fones de ouvido em ambientes muito barulhentos. A competição com o ruído ambiental faz com o que o volume do aparelho de som seja utilizado com intensidade suficiente para provocar dano.

• Utilize sempre protetores auriculares em lugares com ruído excessivo, especialmente se a exposição for prolongada e diária.

• Todos os recém nascidos devem ser submetidos ao teste da orelhinha nas primeiras horas após o nascimento.

• Fique atento a sintomas como zumbidos ou tonturas.

• Procure um Médico Otorrinolaringologista com urgência em caso de perda súbita da audição.